Principal desafio hoje das empresas latino-americanas é consolidar uma cultura centrada no cliente e orientada a dados, e com infraestrutura como serviço na Nuvem.

A IDC realizou ontem (26/8) o evento virtual IDC Digital Forum Future of Infrastructure LATAM, que reuniu especialistas para discutir a modernização da infraestrutura de TI e a otimização da Nuvem na América Latina, fundamentais para garantir serviços e experiências digitais confiáveis e para o sucesso dos negócios. “Uma pesquisa da IDC descobriu que nos próximos dois anos, 81% das empresas dos EUA esperam recorrer a fornecedores de infraestrutura digital e provedores de serviços em Nuvem. Eles vão assumir mais responsabilidades por muitas atividades de suporte de infraestrutura digital do dia a dia, enquanto a equipe interna se concentra mais nas políticas, SLAs e gerenciamento de aplicativos”, disse Mary Johnston Turner, vice-presidente de Pesquisa do Future of Digital Infrastructure da IDC Global, na abertura do evento. “A capacidade de fornecer gerenciamento e segurança consistentes em infraestrutura complexa, interconectada local, Borda e Nuvem pública será uma prioridade crítica para a maioria das empresas”, observou.

Os gastos com infraestrutura em Nuvem compartilhada aumentaram 11,6% ano a ano no 1T21, atingindo US$ 10,3 bilhões. A IDC espera que os gastos com infraestrutura em Nuvem compartilhada superem os gastos com infraestrutura fora da Nuvem em um futuro próximo

Juan Pablo Seminara, gerente de Programa Enterprise da IDC Latin America fez em sua apresentação um compilado de números de várias pesquisas da IDC, mostrando como as empresas estão deixando de olhar apenas para dentro, buscando na tecnologia somente o aumento de produtividade, e passando a mirar na satisfação e experiência do cliente. “Perguntamos para as empresas quanto do faturamento vinha diretamente da transformação digital e a média ficou em 30%, com expectativas de chegar a 34% em breve”, disse Seminara. “Entre as prioridades estratégicas, o cliente aparece em primeiro lugar, seguida do aumento de produtividade”, afirmou.

Segundo o gerente, o principal desafio hoje das empresas é criar uma cultura centrada no cliente – esta foi a resposta de 60% dos entrevistados. “Para entender os clientes, é preciso antes criar uma cultura orientada a dados, pois são os dados que irão gerar insights que indicarão os desejos dos clientes”, observou Seminara. E para isso é necessário investimentos em infraestrutura e digitalização. “A infraestrutura local vem decaindo desde 2019. Hoje, quase 70% das empresas querem uma infraestrutura como serviço em Nuvem, seja pública, privada ou híbrida, com consumo flexível”, afirmou.

Pesquisa

De acordo com o estudo Worldwide Quarterly Enterprise Infrastructure Tracker: Buyer and Cloud Deployment, da IDC, os gastos com produtos de infraestrutura de computação e armazenamento para infraestrutura em Nuvem, incluindo ambientes dedicados e compartilhados, aumentaram 12,5% ano após ano no primeiro trimestre de 2021 (1T21), para US$ 15,1 bilhões. Os investimentos em infraestrutura sem Nuvem aumentaram 6,3% ano sobre ano no 1T21 para US$ 13,5 bilhões.

À medida que o mercado e o mundo começam a emergir lentamente da pandemia de Covid-19, os setores da economia que sofreram a maior perda de receita estão voltando a crescer. Um impacto duradouro na infraestrutura de TI será uma maior dependência de plataformas em Nuvem para o fornecimento de aplicativos comerciais, educacionais e sociais, bem como um foco intensificado entre as organizações na continuidade dos negócios e gerenciamento de risco, ajudando a impulsionar iniciativas de transformação digital e aumentar o uso de como modelos de entrega de um serviço.

Os gastos com infraestrutura em Nuvem compartilhada aumentaram 11,6% ano a ano no 1T21, atingindo US$ 10,3 bilhões. A IDC espera que os gastos com infraestrutura em Nuvem compartilhada superem os gastos com infraestrutura fora da Nuvem em um futuro próximo. Os gastos com infraestrutura em Nuvem dedicada aumentaram 14,7% ano a ano no 1T21, para US$ 4,8 bilhões, com 45,5% deste valor gastos nas instalações do cliente. A IDC espera que os ambientes em Nuvem continuem a superar os que não são em Nuvem ao longo de sua previsão.

Com resultados saudáveis no primeiro trimestre e o mercado geral de infraestrutura começando a se recuperar da pandemia, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura em Nuvem cresçam 12,9%, para US$ 74,6 bilhões em 2021, enquanto a infraestrutura não em Nuvem deve crescer 2,7%, para US$ 58,5 bilhões após dois anos de declínios. Espera-se que a infraestrutura de Nuvem compartilhada cresça 12,2% ano a ano, para US$ 51,8 bilhões no ano inteiro. Os gastos com infraestrutura em Nuvem dedicada devem crescer 14,7%, para US$ 22,7 bilhões, no ano inteiro.

No 1T21, os provedores de serviços como um grupo gastaram US$ 15,5 bilhões em infraestrutura de computação e armazenamento, crescendo 12,5% ano a ano e respondendo por 54% dos gastos totais com infraestrutura de computação e armazenamento. A IDC espera que os gastos com computação e armazenamento dos provedores de serviços cheguem a US$ 74,7 bilhões em 2021, crescendo 11,1% ano após ano.