O dia normal de um profissional de tecnologia sempre tem um desafio ou dois, e o PRTG sempre esta presente quanto se trata de monitoramento preventivo e proativo.

Imaginemos que temos uma pasta em um Servidor Windows e precisamos saber qual é o tamanho da pasta, e manter o histórico de crescimento de aquela pasta em particular. O monitoramento de espaço em disco já não atenderia esta demanda, para isso temos um sensor especifico para monitorar.

Exemplos de situações onde precisaríamos a utilização deste sensor:

  • a pasta publica da rede não pode ultrapassar de 10GB e quando isso acontecer quero ser notificado
  • o local dos logs de um “Sistema x” não pode ultrapassar de 2Gb
  • o número de arquivos em determinada pasta não pode ser maior que 1000
  • verificar qual é o arquivo mais novo da pasta e atrelar uma condição, se o arquivo mais novo tiver mais de 2 dias me notifique
  • verificar qual é o arquivo mais velho, e se tiver arquivos com mais de 60 dias executar um powershell que “apague x arquivos”

O Sensor que estamos falando é o “Sensor Folder”.

 

 

Já no monitoramento de um arquivo em especifico precisamos utilizar outro tipo de sensor. Com o “Sensor File” podemos monitorar o tamanho daquele arquivo(pode ser um txt,uma planilha,banco de dados,etc) e também saber quando foi modificado por ultima vez. Então com essa informação, além de ter o histórico também podemos colocar uma alerta quando o arquivo atingiu um certo tamanho, ou quando aconteceu a última modificação.

 

 

Chegamos no fim deste artigo e gostaria de saber qual é seu desafio, participe nos comentários, quem sabe a solução que você procura esta mais perto do que imagina, lembrando que o PRTG tem uma versão free até 100 sensores sem limitação de funcionalidades, isso quer dizer que “quem não monitora é porque não quer “.