Comprar um sistema de monitoramento para vídeo-segurança significa ter que conhecer as diferenças entre um gravador DVR ou sistema NVR.

Ambos desempenham a mesma função, mas diferem em recursos como os tipos de câmeras usadas, a capacidade de armazenamento, possibilidade de expansão e o conhecimento necessário para instalação.

Entender a diferença entre os sistemas DVR e NVR é essencial para avaliar e escolher corretamente um sistema de CFTV.

Quais são as diferenças entre um NVR e um DVR?

Tanto DVR quanto NVR são sistemas responsáveis pela gravação de vídeo, só que são equipamentos de gerações diferentes.

Enquanto DVR (Digital Video Recorder) significa gravador de vídeo digital e é um sistema analógico, NVR (Network Video Recorder) tem como tradução “gravador de vídeo em rede” e é um sistema digital.

A diferença básica entre um NVR e um DVR é a forma como eles capturam e processam os dados de vídeo (imagens). Os Digital Video Recorder capturam imagens por câmeras “burras” (analógicas), transportam essas imagens por cabo coaxial e deixam o trabalho de converter imagens em dados de computador para o gravador.

Já os Network Video Recorders utilizam câmeras que capturam, codificam e processam os vídeo diretamente no formato de dados antes de transmiti-los para o sistema de armazenamento.

Após converter as imagens capturadas para o formato de dados, a câmera IP envia essas informações através de cabos ethernet, sistemas de comunicação sem fio ou fibra óptica para o gravador NVR.

Câmeras como essas utilizam os endereços IP para fazer a conexão e transmissão dos dados.

Outro ponto relevante é que todas as câmeras dos sistemas DVR precisam de um cabo para transmissão das imagens e devem estar fisicamente conectadas ao gravador de vídeo.

Já os NVRs podem, além dos cabos, se utilizar de sistemas sem fio (wireless) para transmitir seus dados.

As câmeras dos dois sistemas são iguais?

Como DVRs e NVRs tratam os dados de vídeo de maneira diferente, exigem também diferentes tipos de câmeras. Enquanto os NVRs utilizam câmeras IP, os DVRs usam apenas câmeras analógicas.

Alguns fabricantes lançaram sistemas híbridos capazes de usar as duas tecnologias, que são conhecidos com HVRs (Hybrid Video Recorder).

Apesar das dificuldades de instalação, menor resolução e recursos ópticos, a melhora da qualidade de imagens conseguidas através dos avanços nas câmeras analógicas (DVR) reduziu um pouco a lacuna tecnológica entre os dois sistemas.

Além disso, os equipamentos de segurança analógicos (gravadores, infraestrutura e câmeras) têm preços mais baixos que os sistemas de monitoramento baseados em NVR como os storages NAS.

Todas câmeras IP possuem um chipset capaz de processar os dados de vídeo que serão transmitidos para o gravador NVR. Ao contrário das câmeras analógicas, a maioria dos modelos de câmeras IP são capazes de gravar áudio e vídeo.

O hardware de algumas câmeras IP permite também funcionalidades como a análise de vídeo, reconhecimento facial e a criação de cercas eletrônicas.

As câmeras analógicas possuem alguma limitação?

As câmeras analógicas voltadas para sistemas DVR custam pouco e utilizam cabo coaxial, mas possuem uma série de limitações.

Responsáveis pela maior redução de custos entre os sistemas de monitoramento analógicos e digitais, essas câmeras de CFTV são mais baratas porque não possuem hardware para transformar as imagens em dados, deixando esse trabalho para o DVR.

Além disso, para manter os preços competitivos, os fabricantes de câmeras analógicas geralmente utilizam lentes de baixo custo e raramente incorporam sensores de movimento e sistemas que permitem movimentar a câmera remotamente.

O cabo utilizado nos DVRs e NVRs limitam os sistemas?

Os sistemas CFTV analógicos são caracterizados por ter instalações compostas por cabos de diferentes padrões (RG59, RG6 e RG11) e utilizar conversores (baluns) nas câmeras que precisam ser instaladas em distâncias maiores.

Utilizar cabos coaxiais também significa diminuir a qualidade da imagem capturada, uma vez que existe perda de sinal de acordo com a distância e o nível de interferência entre o DVR e a câmera.

Como a gravação e o processamento da imagem corre por conta do DVR, quanto maior a distância entre a câmera e o DVR, pior o resultado.

Outro ponto importante é a distância suportada para instalações com cabo coaxial são menores que as suportadas por sistemas NVR, que podem contar inclusive com a fibra óptica e a internet para cobrir longas distâncias.

A qualidade da imagem no cabo coaxial geralmente diminui após 100 metros, o que pode limitar sua instalação ou exigir equipamentos para reforçar o sinal. Cabos de baixa qualidade também resultarão em perda de sinal, mesmo em distâncias mais curtas.