o que é blockchain

 

Criptomoedas são a “bola da vez” no que diz respeito às novidades do mercado financeiro. Enquanto já tem gente ficando milionário com Bitcoins e outras moedas digitais, bancos e instituições financeiras tradicionais afirmam que essas tecnologias virtuais podem ser uma armadilha ou uma bolha especulativa.

Entretanto, a tecnologia que permite o funcionamento desse mercado virtual chama a atenção pelo seu funcionamento, eficiência, segurança e confiabilidade.

Por isso, neste texto iremos entender mais sobre a tecnologia Blockchain e como ela é utilizada, além de mostrar seu potencial em diversas áreas além do sistema financeiro.

 

O que é Blockchain?

Blockchain significa em inglês, literalmente, “Corrente de Blocos” – e na prática é mais ou menos assim que ela realmente funciona.

Os “blocos” são informações reunidas e seguradas através de uma complexa criptografia, ou seja, códigos que impedem que os dados sejam corrompidos ou modificados por terceiros não autorizados.

Como exemplo mais comum, podemos considerar as informações reunidas em blocos como as transações financeiras. Milhões de transações feitas a todo instante. A “corrente” presente no nome do sistema é composta por milhares de computadores em todo o mundo. Ou seja, toda vez que uma transação Blockchain com qualquer criptomoeda é realizada por alguém, os detalhes dessa movimentação financeira são registados no mesmo instante em milhares de dispositivos diferentes.

Esse é outro dos motivos pelos quais o Blockchain é seguro e quase inviolável: a mesma transação distribui cópias de backup por todo o mundo e é protegida por diferentes criptografias de extrema complexidade.blockchain

Portanto invadir, modificar ou violar essas movimentações financeiras em todos os computadores onde elas são registradas é uma tarefa quase impossível, visto que a criptografia somada à redundância (vários computadores) garante um sistema bastante robusto.

Parece complexo, mas não é. Veja por exemplo: quando uma pessoa compra ações na Bolsa de Valores, toda a movimentação, do início ao fim, é processada e compensada pelo sistema da Bolsa, ou seja, o controle da transação é concentrado em um só lugar. No Blockchain, quando se faz a transação, vários computadores processam a movimentação simultaneamente. É por isso também que a negociação de criptomoedas pode acontecer 24 horas por dia em qualquer lugar, diferentemente da compra de ativos em Bolsa, que usam pregões diários em horário comercial.

 

Os bancos estão de olho no Blockchain

A tecnologia Blockchain foi desenvolvida em 2008 e, no começo, os Bitcoins tinham pouco valor (uma pizza custava cerca de 10 BTC na época). Dez anos depois, cada Bitcoin está valendo mais de R$30 mil. Isso mostra que a forma como as pessoas negociam está se transformando gradativamente.

Apesar de ainda incrédulos sobre o futuro das criptomoedas, muitos bancos estão convertendo seus sistemas de transação inspirados pela tecnologia Blockchain. Com isso, mesmo as transações financeiras tradicionais estão ficando muito mais seguras, ágeis e fáceis de rastrear. Isso evita fraudes, roubos e ataques de hackers.

 

Onde o Blockchain está sendo utilizado?

Mais comum nas transações de criptomoedas (como o Bitcoin, Litecoin, Ethereum, etc.) e agora muito promissor nos sistemas bancários em geral, o Blockchain não se limita a essas áreas e pode ir muito além. Sua tecnologia é inovadora e pode mudar drasticamente a forma como lidamos com qualquer tipo de dado.

A validação de documentos em geral é uma delas. Com a nova tecnologia, será possível realizar autenticações de contratos, venda de imóveis ou troca de ações online, de forma efetiva e segura como nunca foi possível. Além do setor financeiro, um dos mercados que mais irá sofrer uma ruptura será o setor de seguros, já que é composto por empresas que lidam basicamente com a troca de informações.

A tecnologia do Blockchain ainda pode ser considerada nova e deve ser aplicada aos poucos em diversos outros segmentos. Entretanto, ela já gerou uma grande expectativa de transformação. Um exemplo disso é a sua utilização como uma ferramenta antifraude no setor público. Segundo a Microsoft, problemas com fraude representam cerca de 68 bilhões de dólares todos os anos para o governo norte-americano. Com a implementação do Blockchain, é possível aumentar a proteção aos dados de seus sistemas e impedir que sejam alterados posteriormente, já que uma vez inserida a informação na “corrente de blocos”, fica praticamente impossível deleta-la ou modifica-la, garantindo a sua integridade.

 

Banco Central desenvolve projeto de Blockchain com recursos do Microsoft Azure

O Blockchain já é realidade também no BC. Como pode ser lido em detalhes neste artigo da TI Inside, o órgão utilizou os recursos de Blockchain como Serviço (BaaS) do Microsoft Azure para criar uma ferramenta segura e eficiente para a troca de informações, possibilitando que entidades como o BC, Susep e CVM eliminem processos longos de validação e aprovação de documento que até então eram feitos por e-mails, telefonemas ou até mesmo ofícios em papel.

A Microsoft, através das suas soluções Azure, possui em seu portfólio o Blockchain Workbench, onde clientes já podem desenvolver aplicativos e plataformas de testes com a tecnologia Blockchain de forma prática e integrada aos outros serviços da empresa.