Nos próximos três anos, 120 milhões de trabalhadores deverão passar por recapacitação profissional.

Com a chegada da Indústria 4.0, as automações deverão substituir diversas atividades humanas, especialmente as repetitivas e mecânicas. Por conta dessa tendência, torna-se cada vez mais necessário que os profissionais desenvolvam não somente capacidades técnicas, mas também habilidades interpessoais.

Segundo estudo do Institute for Business Value (IBV) da IBM, nos próximos três anos 120 milhões de trabalhadores nas dez maiores economias do mundo deverão passar por recapacitação profissional. No Brasil, estima-se que 7,2 milhões de profissionais precisarão treinar novas habilidades.

Esse cenário de mudança profissional tem sido impulsionado pelo avanço da era digital. Com as máquinas se tornando cada vez mais capazes de executar atividades rotineiras, as pessoas terão que melhorar as competências essencialmente humanas, conforme apontado pelo Relatório do Fórum Econômico Mundial sobre o futuro do trabalho. O levantamento mostra que as soft skills serão essenciais para que os trabalhadores se mantenham competitivos e relevantes no mercado.