A partir do surgimento de recursos de computação as empresas optaram pelo uso desses recursos para facilitar o cotidiano na execução de processos administrativos, serviços ofertados e desenvolvimento econômico. Além das empresas, instituições públicas e de pesquisa embarcaram no uso por auxiliar seus processos e serviços administrativos e possibilitar o avanço científico. Com isto embarcamos na Tecnologia da Informação (TI) que antes considerada uma obrigação agora considerada uma estratégia para desenvolvimento.

Esta mesma Tecnologia de Informação um fusão com a Tecnologia de Comunicação acarretou uma das mais transparentes mudanças no que diz respeito aos processos administrativos, a virtualização da informação. Com isto as empresas, instituições públicas e de pesquisa economizam em todos os recursos que antes eram utilizados para execução dos seus processos através de e-mail eletrônico, Certificação Digital, Mídias de Informação, Internet e etc. O que antes era necessário de horas de trabalho, papéis e pessoas, agora pode ser executado por uma única pessoa, em pouco tempo e consumo de recursos.

Todavia a Tecnologia de Informação trouxe novas necessidades que precisam ser levadas a termo, já que os recursos de computação em sua maioria agridem ao homem e ao meio ambiente. Um dos fatores mais vistos pelas empresas e sociedade é o aumento no consumo de energia elétrica; quanto mais recursos de computação são utilizados mais energia é gasta, e logo, mais produção de energia é necessária e os meios de produção de energia elétrica mais utilizados agridem muito o meio ambiente. Outro fator importante é que não basta somente usar recursos de TI é necessários fazer um gerenciamento do uso desses recursos. Além disso, acima do gerenciamento dos recursos está a produção destes recursos. Em sua maioria, a produção de recursos de TI não é nada saudável para o ser humano e o meio ambiente, pois os recursos (insumos) para fabricação causam muito agressão ao meio assim como os componentes dos produtos em si. Logo os recursos de TI além de trazerem benefícios acarretam algumas desvantagens.

Tendo em vista a realidade das desvantagens dos recursos de TI é que surge a TI Verde. TI Verde, também conhecido como Green IT, tem por objetivo erradicar ou diminuir os danos causados pelos recursos de TI ao meio ambiente mantendo as suas vantagens. Tendo sua aplicabilidade tanto no nível de produção destes recursos, quais recursos tem uma melhor adaptação ao contexto que esta sendo informatizado e como melhor gerenciar estes recursos.

O objetivo deste trabalho, a partir de levantamento bibliográfico tanto científico quanto de mercado profissional, é abordar sobre a TI Verde, seus conceitos, abordagens, exemplos de aplicabilidade. Este trabalho está organizado como segue: na seção 2, descrição sobre o conceito de Tecnologia da Informação; na seção 3, descrição sobre desenvolvimento sustentável; na seção 4, descrição sobre TI Verde, suas abordagens para implantação, e recursos tecnológicos; por último, conclusões obtidas por parte da pesquisa e o material utilizado para desenvolvimento do mesmo.

 

Tecnologia da Informação

Atualmente o TI além de ser uma necessidade se tornou uma estratégia utilizada pelas empresas tanto para gerenciamento dos seus processos administrativos quanto para otimização dos serviços ofertados aos clientes; através da TI as empresas estão conhecendo melhor os seus clientes e melhor atende-los assim como traçar metas e estratégias para conseguir novos clientes. Um processo semelhante são as instituições de repartição pública, todavia aqui no Brasil a maioria das instituições ainda não aderiu ou aderiu em parte o uso de recursos de TI nos seus processos, muitas vezes a burocracia impede o processo de informatização; apesar disso, alguns setores públicos já estão fazendo uso extensivo dos recursos de TI e obtendo ótimos resultados (Revista Digital, 2011). Um ambiente importante para o processo de conscientização são as Universidades que através dos centros de pesquisas descobrir recursos tecnológicos menos agressivos ao meio ambiente. A Universidade como centro de disseminação de informação, conhecimento e pesquisa, tem o dever servir de modelo para a sociedade, adotando rotinas administrativas consideradas “verdes” (Murugesan, 2008).

É fácil encontrar na literatura vasto material sobre TI. Rezende e Abreu (2003) conceituam TI como recursos tecnológicos e computacionais para geração de informação. Para Cruz (1998), TI pode ser todo e qualquer dispositivo que tenha a capacidade para tratar dados e ou informações de forma sistematizada, esporádica, aplicada a produto ou processo. Beal (2004, p. 17) diz que TI serve para referenciar a solução ou conjunto de soluções sistematizadas baseadas no uso de métodos, recursos de informática, de comunicação e multimídia que visam resolver problemas relativos à geração, armazenamento, veiculação, processamento e reprodução de dados e a subsidiar processos que convertem dados em informação. Por fim Turban et al. (2003, p. 5) explica TI como um conjunto de componentes tecnológicos individuais, normalmente organizados em sistemas de informação baseados em computador. A partir destes conceitos é possível perceber que a TI se trata do uso de sistemas e métodos sob os recursos computacionais, para produção e gerenciamento de informação. Além disto, Processo de Tecnologia de Informação diz respeito ao modo como é utilizado o recurso computacional para obtenção ou gerenciamento da informação.

 

Desenvolvimento Sustentável

O desenvolvimento sustentável consiste em manter o desenvolvimento econômico e social reduzindo por completo ou em parte danos causados ao meio ambiente consequente do desenvolvimento, mantendo uma cultura sustentável no ambiente e por último a promoção do crescimento econômico. A WDR (2003) mostra que as atuais demandas dos consumidores incidem temas como a sustentabilidade no uso de recursos naturais, recuperação de áreas degradadas, bem como a diminuição no uso de poluentes e na geração de resíduos. Segundo o relatório Brundtland, conhecido como “Nosso Futuro Comum” emitido pela ONU o “desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades” (WCED, 1987). Para Hart (1995) o desenvolvimento sustentável esta relacionado com o crescimento sem prejuízos aos recursos naturais utilizados, onde a preocupação com os fatores ambientais são prioridade. Segundo pesquisas da CIO (2008) a preocupação com a sustentabilidade faz parte da maioria das empresas e seus gestores.

De acordo com a WCED (1987) o desenvolvimento sustentável só ocorre dando atenção simultaneamente a equidade social, integridade ambiental e progresso econômico. Este conceito, criado pelo economista John Elkington é também conhecido como Tripé da Sustentabilidade.

Tendo o desenvolvimento sustentável como uma meta que deve ser alcançada pelo Tripé da Sustentabilidade é possível concluir que as organizações empresariais, públicas, de ensino dentre outras deverão ser redesenhadas, reformuladas e reorganizadas. Sob a ótica do desenvolvimento sustentável Veiga (1994) trata como um processo sinérgico, ou seja, as mudanças empregadas em um ponto do Tripé devem ser sentidas em outro ponto subsequente. Segundo Shrivastava (1995) as organizações precisam aderir a cultura da sustentabilidade em todos os processos, normas e funções, inclusive com os relacionamentos externos (stakeholders).

 

Tripé da Sustentabilidade(Itautec, 2011)

Tecnologia da Informação Verde

Tendo compreensão do conceito da Tecnologia da Informação e do Desenvolvimento Sustentável fica mais claro o conceito da TI Verde. Em suma TI Verde corresponde ao uso de Tecnologia da Informação com aplicabilidade do conceito de Desenvolvimento Sustentável. Diante dos conceitos vistos anteriormente é claro perceber que a TI Verde não tem sua aplicação limitada às organizações empresariais, mas se expande a organizações públicas, universitárias dentre outras. É sabido que organizações tendem ao avanço, ou seja, desenvolvimento econômico. A TI surgiu como um processo aplicado aos processos organizacionais com o intuito de torna-los ágeis em sua execução. Visto que muitos processos organizacionais são utilizados para o desenvolvimento econômico da organização que de uma forma ou de outra a TI auxilia para otimização, logo a TI assume um papel estratégico na organização ganhando importância. Todavia o uso do processo de TI não é o suficiente, sendo necessário o gerenciamento deste processo. Além disso, a TI como um processo que causa danos ambientais e humanos acarreta, consequentemente, danos à organização, principalmente organizações cujo processo principal é a produção de TI. Logo o desenvolvimento sustentável se torna uma necessidade para a organização. Isto porque gera benefícios a empresa: a economia de recursos, manutenção do meio ambiente e melhora na imagem diante da sociedade. Segundo Yuri (2008) não faltam previsões para as empresas perceberem a importância da implantação da TI Verde.

Segundo Murugesan (2009) TI Verde corresponde a soma da economia de energia com gestão de recursos desde aa cadeias produtivas, e todo o ciclo que vai da extração de matéria-prima até o final da vida útil do equipamento, incluindo seu descarte. Para a Infamicro (2010) o TI Verde busca reduzir o desperdício e aumentar a eficiência de todos os processos e fenômenos do uso de recursos computacionais.

Diante desta realidade o mercado de computação toma a iniciativa de produzir computadores e processos de TI verdes lançando produtos mais eficientes, que consomem menos e são ecologicamente corretos. TI esta relacionada a três óticas: informação útil, informação inútil e calor. A informação útil e inútil diz respeito a sua produção, gerenciamento ou não utilização. Já o calor esta relacionado ao processo de produção de recursos de TI ou danos causados pelos recursos de TI ao meio ambiente ou ser humano. Logo a TI Verde deve trabalhar sobre estas três óticas (Inframicro, 2010).

 

Benefícios da TI Verde

Apesar das empresas estarem cientes da importância de TI Verde, muitas empresas ainda não adotaram esta sistemática nos processos de TI e outras adotaram em parte; contudo algumas grandes empresas na área de TI já adotaram como rotina obrigatória é o caso da empresa Nokia e a Samsung (Coelin et al., 2009). Algumas empresas se justificam pelo fato da maioria das empresas de TI não terem incorporado a TI Verde em seu processo de produção de produtos, outras empresas pelo fato da TI Verde trazer benefícios a longo prazo, e outras empresas pelo fato do investimento que terão de fazer para aplicação.

Apesar destes contratempos, segundo CDP (2009), o compromisso com a sustentabilidade serve para divulgação das metas verdes e marketing para a empresa gerando um retorno sustentável a imagem da empresa e maior interesse por parte dos investidores. De acordo com ITWEB (2009) a pesquisa Latin America Greent IT Survey 2009: Brazil and Mexico Highlights mostra que 70% das organizações na região acham importante trabalhar na redução do impacto das empresas no meio ambiente. Isto já é um bom começo. A Figura 2 mostra um relatório da Greenpeace, versão 11 em Março de 2009, que mostra uma relação das empresas que produtos eletrônicos mais verdes. Estas estatísticas provavelmente tenham modificado.

 

Painel Guia para eletrônicos mais verdes (Coelin et al., 2009)
Figura 2: Painel Guia para eletrônicos mais verdes (Coelin et al., 2009).

Abordagens da TI Verde

Diante da responsabilidade de aplicação da TI Verde, surge à necessidade de desenvolver estratégias de implantação do processo de TI Verde, ou seja, não é somente fazer mudanças ecológicas que a organização estará fazendo Desenvolvimento Sustentável; é necessário levantar um planejamento para evitar que ao invés da implantação de TI Verde ser um sucesso para empresa se tornar um fiasco. Pois a TI Verde, que esta sob a ótica de Desenvolvimento Sustentável, deve ter um equilíbrio entre a sustentabilidade social, econômica e ambiental. Murugesan (2009) define três abordagens para adotar TI Verde:

  • Abordagem Incremental: preserva a infraestrutura atual de TI, incorporando políticas e medidas simples, para atingir objetivos pequenos. Essas medidas geralmente são de fácil implantação e sem muito custo. O retorno é quase imediato e pode ser observado, analisando a redução no consumo de energia elétrica;
  • Abordagem Estratégica: é realizada uma auditoria na infraestrutura de TI. Todos os equipamentos são analisados de maneira individual ou em grupos que podem ser formados por tipo de equipamentos ou divididos por aplicação. Comparam-se as tecnologias atuais com novas tecnologias, assim servindo como base para se optar por remanejamento de recursos, reutilização através de upgrade´s, descarte desses equipamentos ou até a substituição por novas tecnologias. Observa-se que embora o motivo principal ainda seja a relação custo-benefício, a diminuição de geração de CO2 é considerada como um benefício de marketing;
  • Abordagem Radical Verde: essa abordagem agrega as medidas da abordagem estratégica, como a implementação de uma política de compensação de carbono por neutralizar a emissão de gases que geram o efeito estufa, incluindo o plantio de árvores, a compra de créditos de carbono, geração de energia limpa, reutilização de recursos naturais como água das chuvas por meio de cisternas, e criação de programas de incentivo para que os funcionários, alunos e comunidade comprem essas ideias e as torne parte do seu dia a dia na medida do possível.

De acordo com a necessidade da organização uma dessas abordagens pode ser seguida. É necessário ter em vista quais metas verdes a organização deseja alcançar e traçar um planejamento que pode ser de curto, médio ou longo prazo. Não foi possível verificar neste estudo se existe a possibilidade de migrar entre abordagens, no entanto a migração provavelmente acarreta gastos de tempo e investimento inúteis. Também é necessário observar se as metas traçadas realmente farão efeito significativo na rotina da empresa. Por exemplo, não há necessidade de traçar metas verdes para processo de TI que gera informações inúteis onde o correto seria acabar com o processo. Outro exemplo está em fazer metas verdes para um processo de TI sob a ótica de calor que não produz resultado nem em curto, médio ou longo prazo. Enfim é necessário levantar um planejamento de processos de TI Verde sob uma das três abordagens que traga benefícios a tempo futuro e também que seja utilizado até que surjam planejamentos melhores, tendo em vista a situação dos recursos de TI.

 

Focos da TI Verde

Após analisar como podem ser estruturadas as metas para obtenção de TI Verde, é necessário analisar quais focos serão seguidos. De acordo com o planejamento estabelecido podem ser seguidos diversos focos. Contudo é necessário observar se existe real possibilidade de alcançar este foco. A TI Verde pode ser obtida através de diversos focos, dentre eles:

  • Computação com o uso eficiente de energia: seria o uso de software e hardwares mais rápidos, pois consomem menor quantidade de energia. Redução do consumo de energia, ou seja, desligar ou suspender o computador quando não estiver em uso. Equipamentos que consumam menor quantidade de energia. Outro ponto importante é configurar os equipamentos para consumirem menor quantidade de energia;
  • Gerenciamento de energia: Diz respeito a fazer auditoria quanto a compra de produtos de TI, monitorar o consumo de energia tanto dos produtos de TI quanto de outros produtos no ambiente;
  • Projetos de Data Centers Verdes: visa diminuir a quantidade de equipamentos mantendo o desempenho sob a demanda dos recursos de TI. Com menor quantidade de equipamentos menor consumo de energia, além domais a organização terá equipamentos de TI guardados para segurança ou para troca de equipamentos no futuro. Este projeto pode ser alcançado através da virtualização de servidores, de redes e de aplicativos; no caso de aplicativos através de Computação nas Nuvens ou Grid Computacional;
  • Descarte responsável e reciclagem: Neste caso seria o descarte de equipamentos de TI para postos de coleta de reciclagem dos mesmos ou então doação desses equipamentos. Uma nova estratégia utilizada pelas organizações é a reciclagem de cartuchos;
  • Produtos de TI com selos ecológicos: compra de produtos de empresas que empregam TI Verde na fabricação dos seus equipamentos de TI;
  • Consciência Ecológica: conscientizar as pessoas presentes na organização para adotarem a sustentabilidade no cotidiano, como economia de impressão.

Outra maneira é a organização ter um projeto de extensão visando conscientizar a sociedade no uso de recursos de TI em suas residências.

 

Exemplos de uso de TI Verde

Algumas empresas que adotaram a TI Verde já demostram resultados significativos. Uma pesquisa realizada pela Sun Mycrositems com 758 organizações australianas mostra as principais razões para as elas adotarem TI Verde, como mostra a figura 3 (Silva et al.). Outro exemplo é a empresa Itautec, sendo a primeira empresa do Brasil no ramo de TI a fabricar equipamentos livres de chumbo, possui um Centro de Reciclagem localizado em Jundiaí, em São Paulo (Itautec, 2011). Para Yuri (2008) algumas empresas adotaram iniciativas ecológicas como: placas de energia solar para converter energia solar em eletricidade e levar energia elétrica para os vilarejos mais distantes sem custo para o consumidor; planos de racionalização de energia, incluindo substituição da iluminação de mercúrio por lâmpadas de sódio que são mais eficientes, substituição de monitores convencionais pelos de LCD, substituição de computadores mais modernos e com menor consumo, redução da utilização e redimensionamento de condicionadores de ar, consolidação de impressoras e de data centers. Outro exemplo é a Certificação Digital onde as empresas estão informatizando processos que antes eram manuseados por papéis; tendo em vista a agilidade na execução dos processos e economia de outros recursos, como combustíveis para locomoção de processos, energia, espaço (Revista Digital, 2011).

Mesmo diante destes exemplos é necessário observar que existem empresas que infelizmente estão tomando iniciativas que trazem risco ao meio ambiente e a sociedade. É o caso do Mercado Cinza. O Mercado Cinza é caracterizado pela venda de equipamentos “xing ling”. Equipamentos “xing ling” são equipamentos eletrônicos que imitam aparelhos de marcas conhecidas, mas que usam componentes e processo de montagem que não são confiáveis. Por serem produtos à margem de requisitos legais são mais baratos chamando a atenção dos consumidores. Contudo esses equipamentos muitas vezes utilizam elementos contrabandeados e prejudiciais a saúde do ser humano (Itautec, 2011). Em sua maioria não existe uma empresa para fabricação sendo produzidos em “fundo de quintal” aumentando o risco de contaminação tanto dos produtores quanto dos consumidores. Uma política adequada seria a conscientização da população em não comprar mercadorias falsificadas.

 

Principais razões para utilização de práticas Verdes
Figura 3: Principais razões para utilização de práticas Verdes.

A partir deste levantamento bibliográfico podemos concluir que existem diversos meios para implantar TI Verde na organização. Também que muitas empresas estão começando a colocar em prática a TI Verde, apesar de ser mais por pressão do Governo ou da sociedade do que por vontade própria. Muitas empresas ainda visam em primeiro lugar o patamar econômico na justificativa de aplicar o TI Verde. Outras ainda não aplicam por não verem nenhum benefício ou pelos benefícios serem em longo prazo.

Enfim é possível perceber uma mudança na consciência por parte das organizações empresariais, públicas e universitárias principalmente. Também que existe uma tendência por parte destas empresas em aumentar a aplicabilidade da TI Verde. A TI Verde tem obtidos avanços e aceitação por parte da sociedade que é o essencial. Muita coisa ainda existe para ser feita, pois este é só um começo. Em breve será mais perceptível os benefícios da TI Verde tanto na sociedade, quanto na economia e no meio ambiente.