Com a utilização de tecnologias cada vez mais avançadas nas empresas, pode até parecer que os vírus já não representam uma ameaça considerável. Nada mais longe da verdade. Tal como as soluções digitais, eles evoluem e se tornam cada vez mais perigosos.

É importante notar que os vírus são desenvolvidos por hackers, mas quem são eles? Indivíduos com um conhecimento significativo em tecnologia. Dessa forma, é uma ótima ideia se manter protegido contra esses ataques. Neste post, falaremos mais sobre essas ameaças e como se proteger. Boa leitura!

 

Quais são os tipos mais comuns de vírus?

Agora, falaremos sobre os tipos mais comuns e como a incidência deles compromete a segurança e a eficiência do seu negócio.

Cavalo de Troia

Também popularmente conhecido como Trojan, ele se mantém ameaçador há décadas. Muitos especialistas não o consideram propriamente um vírus, mas os danos são os mesmos: ele deixa os computadores vulneráveis a diversos tipos de ataque.

Além disso, ele submete os usuários a diversos riscos, já que pode decodificar mensagens e, até mesmo, descobrir senhas de instituições financeiras e redes sociais. Ele costuma acompanhar o download de arquivos ou links já infectados.

Ransomware

O ransomware é outra ameaça recorrente. Quando implantado, ele consegue bloquear através de criptografia o acesso direto a todos os arquivos e sistemas.

Como se não bastasse, costuma vir acompanhado de um pedido de resgate por parte dos hackers. É altamente danoso para empresas de diferentes segmentos e portes — afinal, até mesmo uma grande empresa será prejudicada ao ter as suas atividades interrompidas.

Além disso, o resgate compromete a saúde financeira do negócio. Por isso, é muito importante estar sempre atento à origem das mensagens e arquivos enviados, assim como links suspeitos.

Autorun

A infecção pelo autorun também costuma ocorrer pela conexão de pen drives e discos rígidos aos computadores da empresa. O termo em inglês diz tudo: o arquivo costuma utilizar a instalação automática, muitas vezes copiando a interface de programas mais conhecidos.

 

Qual é a importância da proteção contra vírus?

Um vírus pode comprometer toda a sua rede interna, e o pior é que um ciberataque potente consegue até mesmo fazer com que o hacker tenha acesso aos dados dos seus clientes. Além da possibilidade de ter suas atividades paralisadas, você ainda corre o risco de manchar a sua reputação com os seus consumidores.

Além disso, essas ameaças conseguem se espalhar rapidamente. Se um colaborador trabalha em uma máquina infectada, o mero uso de um pendrive corporativo (ou seja, utilizado por todos dentro do negócio) nesse computador acaba transferindo o vírus para outra instância.

 

Como se proteger?

Uma boa medida é buscar ajuda de profissionais especializados. Isso pode ser feito por meio de uma consultoria com foco em resultados, com práticas que serão assimiladas pela própria cultura organizacional do negócio.

Além de buscar essa ajuda especializada, cuidados básicos devem ser considerados. Não abra links desconhecidos, principalmente aqueles que contenham nomes que você não reconheça.

Um excesso de números e caracteres em geral também é um indício suspeito. Vale ressaltar também que não é adequado fazer downloads de links e sites obscuros. Isso é especialmente importante para evitar os temidos trojans.

Por fim, invista em um antivírus original. Utilizar opções gratuitas pode até ser interessante para usuários individuais, mas empresas correm mais riscos.